Declaração de Fé

ARTIGO 5 – DECLARAÇÃO DAS VERDADES ESSENCIAIS E FUNDAMENTAIS

PREÂMBULO

As Assembléias de Deus Pentecostais do Canadá permanecem firmes na linha central do Cristianismo histórico. Considera a Bíblia como a fonte totalmente suficiente de fé e prática e valida os credos históricos da igreja universal. Em comum com o histórico, o Cristianismo evangélico enfatiza Cristo como o Salvador e Rei vindouro. Também apresenta a Cristo como o Curador/Restaurador e adota a postura distintiva de que o falar em línguas é a evidência inicial quando Cristo batiza no Espírito Santo (Ver artigo 5.6.3).

5.1 ESCRITURAS SAGRADAS

Toda Escritura é dada por inspiração de Deus1 pela qual entendemos que toda a Bíblia é inspirada de forma que os santos homens de Deus foram movidos pelo Espírito Santo a escrever as palavras da Escritura.2 A inspiração divina se estende igual e completamente a todas as partes dos escritos originais. Toda a Bíblia, no original, é, portanto, sem erros e como tal, infalível, absolutamente suprema e suficiente em autoridade em todas as questões de fé e prática.3

A Bíblia não simplesmente contém a Palavra de Deus, mas é, em realidade, a completa revelação e a própria Palavra de Deus inspirada pelo Espírito Santo. Crentes cristãos atualmente recebem iluminação espiritual para capacitá-los a compreender as Escrituras, 4mas Deus não concede novas revelações que sejam contrárias ou adicionais à verdade bíblica inspirada. 5

5.2 A DIVINDADE

A divindade existe eternamente em três pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Estes três são um só Deus, tendo a mesma natureza e atributos e são dignos da mesma reverência, confiança e obediência.6

5.2.1 O PAI

O Pai existe eternamente como o Criador dos céus e da terra, o Doador da Lei, a quem todas as coisas estão sujeitas, de forma que Ele seja tudo em todos.7

5.2.2 O FILHO

O Senhor Jesus Cristo, o eterno e unigênito Filho de Deus, é o Deus verdadeiro e o homem verdadeiro.8 Ele foi concebido pelo Espírito Santo, nascido da Virgem Maria, 9 e por Sua vida sem pecado, milagres e ensino, deu plena revelação do Pai.10

Ele morreu na cruz, o Justo pelo injusto, como um sacrifício de substituição.11 Ele ressuscitou dos mortos.12 Ele está assentado ao lado direito da Majestade nas alturas como nosso grande Sumo Sacerdote. 13 Ele virá novamente para estabelecer Seu reino em justiça e paz. 14

5.2.3 O ESPÍRITO SANTO

O Espírito Santo também é Deus, realizando atos e possuindo os atributos da Divinidade.15 Sua personalidade é mostrada pelo fato de que Ele tem características pessoais e que indivíduos podem se relacionar com ele como uma pessoa.16

1 2 Tim. 3: 16, 17

2 2 Pet. 1: 20,21

3 Psa. 119:160; Matt. 5:17,18

4 1 Cor. 2:12-14

5 Prov. 30:5,6

6 Matt. 3:16,17; 28:19; 2 Cor. 13:14

7 Gen. 1:1; 1 Cor. 15:28

8 John 1:1,14; 10:30,17; Phil. 2:6,7; Heb. 1:8

9 Luke 1:26-35

10 John 12:49; Acts 2:22; 2 Cor. 5:21; Heb. 7:26

11 Rom. 5:6,8; 1 Cor. 15:3; 1Pet. 3:18

12 Matt. 28:6; 1 Cor. 15:4,20

13 Acts 1:9-11; 2:33; Heb. 8:1

14 Matt. 25:31

15 Acts 5:3,4

16 John 16:13-14

5.3 ANJOS

5.3.1 CLASSIFICAÇÃO

Anjos foram criados como seres inteligentes e poderosos, para fazerem a vontade de Deus e adora-Lo.17 Entretanto, Satanás, o originador do pecado, caiu pelo orgulho e foi seguido por aqueles anjos que se rebelaram contra Deus. Estes anjos caídos, ou demônios agem em oposição aos propósitos de Deus. 18

Aqueles anjos que permaneceram fiéis, continuam servindo diante do trono de Deus e servem como espíritos ministradores. 19

5.3.2 O CRENTE E OS DEMÔNIOS

Demônios tentam impedir os propósitos de Deus; entretanto, em Cristo, o crente pode ter completa libertação da influência de demônios.20 O crente não pode ser possuído por eles, porque seu corpo é o tempo do Espírito Santo em quem Cristo habita como Senhor. 21

5.4 HOMEM

O Homem (ser humano) foi originalmente criado à imagem e semelhança de Deus.22 Ele caiu através do pecado e, como consequência, incorreu em morte tanto espiritual quanto física. 23 A morte espiritual e a depravação da natureza humana têm sido transmitidas a toda raça humana24 com exceção do Homem Cristo Jesus.25 O Homem pode ser salvo somente através da obra redentora do Senhor Jesus Cristo.26

5.5 SALVAÇÃO

5.5.1 REMISSÃO DE CRISTO

A Salvação foi feita disponível a todos os homens pelo sacrifício de Cristo na cruz.27 Ela é a única e perfeita redenção e substituição por todos os pecados do mundo, tanto o original quanto o atual. Seu trabalho de expiação foi provado pela Sua ressurreição dentre os mortos.28 Aqueles que se arrependerem e crerem em Cristo são nascidos de novo do Espírito Santo e recebem a vida eterna.29 Além disso, através da remissão, a cura divina foi feita disponível a todos os que crêem. 30

5.5.2 ARREPENDIMENTO E FÉ

O Homem pode nascer de novo somente pela fé em Cristo. Arrependimento, uma parte vital de crer, é uma completa mudança da mente, trazida pelo Espírito Santo, 31 convertendo uma pessoa do pecado para Deus.

5.5.3 REGENERAÇÃO

A regeneração é a obra criativa do Espírito Santo, pela qual o ser humano é nascido de novo e recebe a vida espiritual. 32

5.5.4 JUSTIFICAÇÃO

A justificação é um ato judicial de Deus, pelo qual o pecador é declarado justo somente com base em aceitar a Cristo como Salvador.33

 17 Psa. 103:20; Rev. 5:11,12

18 Isa. 14:12-17, Eze. 28:11-19; Eph. 6:11-12; 1Tim. 4:1; Jude 6

19 Heb. 1:14

20 Heb. 2:14; 1 John 3:8; 4:1-4

21 Matt. 6:24; 1 Cor. 6:19,20

22 Gen. 1:26; 2:7

23 Rom. 5:12; James 1:14,15

24 Jer. 17:9; Rom. 3:10-19, 23

25 Heb. 7:26

26 John 14:6; Acts 4:12; 1 Tim. 2:5,6

27 Isa. 53:3-6; John 12:32,33; 1 Pet. 2:24

28 Acts 2:36; Rom. 4:25; 1 Cor. 15:14,17,20; Heb. 10:12; 1 John 2:2

29 Acts 20:21; 1 Pet. 1:23,25

30 Isa. 53:4,5; Matt. 8:16b,17

31 Isa. 55:7; Acts 17:30; Gal. 3:22,26; Eph. 2:8; 1 John 5:10-13

32 John 3:3b,5b,7; 1 Cor. 5:17,18a; 1 Pet. 1:23

33 Rom. 3:24; 4:3-5; 5:1-2

5.6 A EXPERIÊNCIA CRISTÃ

5.6.1 GARANTIA

A garantia da salvação é o privilégio de todas as pessoas nascidas de novo pelo Espírito, através da fé em Cristo, 34 resultando em amor, gratidão e obediência perante Deus.

5.6.2 SANTIFICAÇÃO

A santificação é a dedicação a Deus e separação do mal. 35 A experiência pode ser tanto instantânea 36,quanto progressiva 37. É produzida na vida do crente pela sua apropriação do poder do sangue de Cristo e vida ressurreta através da pessoa do Espírito Santo; 38 Ele atrai a atenção do crente para Cristo, o ensina através da Palavra e produz o caráter de Cristo dentro dele. 39 Os crentes que pecam devem se arrepender e buscar o perdão por meio da fé no sangue purificador de Jesus Cristo 40

5.6.3 O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO

O batismo no Espírito Santo é uma experiência em que o crente submete o controle de si mesmo ao Espírito Santo.41 Através disso, ele vem a conhecer a Cristo em uma forma 42 mais íntima e recebe poder para evangelizar e crescer espiritualmente.43 Crentes devem buscar o batismo no Espírito Santo de acordo com o comando de nosso Senhor Jesus Cristo.44 A evidência inicial do batismo no Espírito Santo é falar em outras línguas, conforme o Espírito dá elocução.45 Esta experiência é distinta a partir e depois da experiência do novo nascimento.46

5.6.4 OS DONS DO ESPÍRITO

Os dons do Espírito são habilidades sobrenaturais dadas por Deus mediante o exercício dos quais crentes são capacitados a ministrar eficazmente e diretamente em situações particulares.47 Eles servem o dupla função de construir a igreja e de demonstrar a presença de Deus dentro da Sua igreja.48

5.6.5 A CURA DIVINA

A cura divina provida na expiação de Cristo49 é o privilégio de todos os crentes. A oração pelos doentes e dons de cura são incentivados e praticados.50

 34 John 10:27-29; Rom. 8:35-39

35 2 Cor. 6:14; 7:1

36 John 17:17,19; Heb. 10:10,14

37 I Thes. 5:23; 2 Tim. 2:19-22; 1 Pet. 1:14-16

38 Rom. 6:11,13,14,18

39 1 Cor. 13; Gal. 5:22, 23; 2 Pet. 1:3-4

40 1 John 1:9; 2:1-2
41 Matt. 3:11; Acts 1:5; Eph. 5:18

42 John 16:13-15

43 Acts 2:1-4; 9-17,39; 1 Cor. 14:18

44 Luke 24:49; Acts 1:4, 8

45 2 Cor. 3:18; Acts 1:8

46 Acts 8:12-17; 10:44-46

47 1 Cor. 12:4-11

48 1 Cor. 12:7; 14:12, 24-25

49 Matt. 8:16,17

50 1 Cor. 12:28-30; James 5:14

5.7 A IGREJA

5.7.1 IGREJA UNIVERSAL

Todos os que nasceram de novo são membros da igreja universal, que é o Corpo e Noiva de Cristo.51

5.7.2 IGREJA LOCAL

5.7.2.1 PRÓPOSITO

A igreja local é um corpo de crentes em Cristo que se uniram para funcionar como uma parte da igreja universal 52. A igreja local é ordenada por Deus e fornece um contexto no qual os crentes corporativamente adoraram à Deus 53, observam as ordenanças da igreja, são instruídos na fé e estão equipados para a evangelização do mundo54.

5.7.2.2 ORDENANÇAS

5.7.2.2.1 A SANTA CEIA

A Ceia do Senhor é um símbolo, memorial e do proclamação do sofrimento e da morte

de nosso Senhor Jesus Cristo. Esta ordenança de comunhão deve ser compartilhada por

crentes até o retorno de Cristo55.

5.7.2.2.2 BATISMO NAS ÁGUAS

O batismo nas águas significa a identificação do crente com Cristo na Sua morte, sepultamento e ressurreição e é praticado por imersão56 .

5.7.2.3 MINISTÉRIO

Um ministério divinamente chamado e ordenado é a provisão do Senhor para dar a liderança para a igreja no cumprimento de sua propósitos57.

51 1 Cor. 12:13; Eph. 5:25b; Col. 1:18; 1 Tim. 3:15

52 Acts 14:23; 1 Cor. 16:19

53 John 4:23; Acts 20:7

54 Acts 1:8; 11:19-24; 2 Tim. 2:2; 1 Pet. 5:2

55 Matt. 26:26-28; 1 Cor. 10:16-17; 11:23-26

56 Matt. 28:19; Mark 16:15-16; Acts 2:38, 41; 8:36-39; Rom. 6:3-5

57 Acts 6:2b-4c; 13:2-4a; 14:23; Eph. 4:8, 11-13

5.8 O FIM DOS TEMPOS

5.8.1 O ESTADO ATUAL DOS MORTOS

Na morte, as almas dos crentes passam imediatamente para a presença de Cristo, 58 e estes permanecem em constante felicidade até a ressurreição dos corpos glorificados59. As almas dos incrédulos permanecem após morte conscientes da condenação60 até a ressurreição corporal final e julgamento dos injustos61.

5.8.2 O ARREBATAMENTO

O arrebatamento, a bendita esperança da Igreja, é a vinda iminente do Senhor nos ares, para receber para si os seus, tanto os vivos que serão transformados, e os mortos em Cristo, que serão ressurretos 62. Este evento ocorre antes que a ira de Deus seja derramada durante a tribulação. Então, os fiéis vão comparecer perante o tribunal de Cristo para serem julgados de acordo com fidelidade no seu serviço cristão 63.

5.8.3 A TRIBULAÇÃO

A tribulação será um tempo de julgamento sobre toda a terra 64. Durante este período, o Anticristo emergirá para oferecer falsas esperanças às nações65.

5.8.4 A SEGUNDA VINDA DE CRISTO

O retorno de Cristo à Terra em poder e grande glória concluirá a grande tribulação com a vitória no Armagedon66, a derrota do Anticristo e o aprisionamento de Satanás67 . Cristo irá introduzir o milênio, 68 restaurará Israel para a sua terra, retirará maldição que agora repousa sobre toda a criação, e trará o mundo inteiro para o conhecimento de Deus69.

5.8.5 O JULGAMENTO FINAL

Haverá um julgamento final no qual aqueles que morreram sem Cristo serão ressuscitados e julgados no grande trono branco, de acordo com as suas obras70. A besta e o falso profeta, o diabo e seus anjos, e quem não for encontrado no Livro da Vida , serão lançados no lago de fogo, não aniquilação, mas para o castigo eterno, que é a segunda morte71.

5.8.6 A VIDA ETERNA PARA OS JUSTOS

Os justos irão partilhar a glória de Deus no novo céu e da nova terra durante toda eternidade.72

 58 2 Cor. 5:8; Phil. 1:21, 23-24

59 Rom 8:22-23; 1 Cor. 15:42-44; 2 Cor. 5:1,4b

60 Luke 16:22-31; John 3:36

61 Dan.12:2; John 5:28-29; 2 Thess. 1:7-10; Rev 20:11-15

62 1 Cor. 15:51-57; Phil. 3:20-21; 1 Thess. 4:13-18; Titus 2:13

63 Rom. 14:10-12; 1 Cor 3:11-15; 2 Cor. 5:9-10

64 Matt. 24:15, 21-22; 1 Thess. 5:1-3

65 2 Thess. 2:3-12; Rev. 13:11-18

66 Matt. 24:27, 30; Luke 17:24, 26-30

67 Rev. 16:12-16; 17:8, 12-14; 19:11-20

68 Psa. 2:6-12; Dan. 2:44-45; Luke 22:29-30; Rev. 3:21; 20:6

69 Isa. 1:24-27; 2:1-4; Zech. 14:3,4,9; Rom. 8:19-23; Rev. 22:3

70 Dan. 7:9-10; John 12:48; Rom. 2:2,6,11,16; Rev. 14:9-11; 20:11-15

71 Matt. 25:41b; Jude 6; Rev. 20:10,15; 21:8

72 Matt. 13:43; John 17:24; 2 Pet. 3:13; Heb. 11:10; Rev. 21:1-2, 10, 22-23

5.9 PRÁTICAS E POSICIONAMENTOS

5.9.1 CASAMENTO E FAMILIA

O casamento é uma disposição de Deus em que um homem e uma mulher com a exclusão de todos os outros entram em um relacionamento para toda a vida73 por meio de uma cerimônia de casamento que é reconhecido pela igreja e legalmente sancionada pelo Estado.

Casamento estabelece uma relação em que dois se tornam “uma só carne” 74, que vai além de uma união física e é mais do que qualquer uma relação conveniente e temporária que destina-se a proporcionar prazer pessoal ou um contrato que une duas pessoas juntas em uma parceria legal. Casamento estabelece uma união emocional e espiritual que permite que ambos os parceiros possam responder às necessidades espirituais, físicas e sociais do outro75. Ele fornece o contexto bíblico para a procriação de filhos.

O casamento é para ser uma relação exclusiva a ser mantida em pureza76. Ele é destinado por Deus para ser um relacionamento permanente. É um testemunho para o mundo da relação entre Cristo e Sua Igreja.77

O casamento requer um compromisso de amor, perseverança e fé. Por causa da sua santidade e permanência, o casamento deve ser tratado com seriedade e admitido apenas depois de aconselhamento e oração com a orientação de Deus. Os cristãos devem se casar somente com aqueles que são crentes78. Um indivíduo que se torna um crente depois do casamento deve permanecer em paz com seu / sua parceiro/a, e deve dar testemunho do Evangelho em sua casa79.

A Bíblia sustenta a vida familiar como uma posição de confiança e responsabilidade. A casa é uma força estabilizadora na sociedade, um lugar de nutrição, conselho e segurança para crianças80.

O casamento só pode ser quebrado por porneia, que significa infidelidade81 envolvendo adultério, homossexualismo, ou incesto. As Escrituras dão provas de que o voto matrimonial e “uma só carne” união podem ser quebrados por tais atos e, portanto, confirmar a quebra da relação de casamento, as Escrituras recomendam que a opção mais desejável em tais casos é a reconcialiação82.

5.9.2 DIVÓRCIO

Acreditamos que o divórcio não é a intenção de Deus. É concessão de Deus para a “dureza dos corações dos homens.” 83

Portanto, procuramos desencorajar o divórcio por todos os meios lícitos e através do ensino da palavra. O nosso objectivo é a reconciliação e a cura da união matrimonial sempre que possível. Infidelidade conjugal não deve ser portanto considerada uma ocasião ou oportunidade para o divórcio, mas sim uma oportunidade para a graça cristã, perdão e restauração. O divórcio em nossa sociedade é uma terminação de um casamento através de um processo legal autorizado pelo Estado. Enquanto a Igreja reconhece este processo legal como um meio adequado para facilitar a separação permanente dos cônjuges, a Igreja restringe a idéia de divórcio, no sentido da dissolução do casamento, baseado em razões especificadas nas Escrituras.

O peso do registro bíblico é negativo e a declaração explícita é feita, “Deus odeia o divórcio.”84 O divórcio é mais que uma ação dos tribunais, que quebra o contrato legal entre parceiros no casamento. É também a fratura de um relacionamento humano único entre um macho e uma fêmea. O divórcio tem consequências profundas para as crianças. O divórcio é uma evidência da natureza pecaminosa expressa em falha humana. Jesus dá uma causa explícita para a dissolução do casamento: porneia ou infidelidade conjugal.

Onde todas as tentativas de reconciliação falharam e um divórcio foi finalizado, estendemos amor e compaixão de Cristo.

5.9.3 CASAR NOVAMENTE

Novo casamento é a união, legalmente sancionada pelo Estado, de um homem e uma mulher, um ou ambos os quais têm sido casado anteriormente. É considerado como aceitável nas Escrituras em caso de morte de um ex-cônjuge. Ele também é considerado como aceitável se houve imoralidade sexual por parte do ex-parceiro(a) ou se o ex-parceiro(a) também se casou novamente.

5.9.4 DÍZIMOS

O dízimo foi divinamente instituído por Deus sob a antiga aliança de forma obrigatória sobre as pessoas que adoravam à Deus85. Sob a nova aliança não somos obrigados por leis arbitrárias; mas os princípios de certo e errado, como expresso pela lei, são cumpridos na vida do crente pela graça. A Graça deve produzir tanto quanto ou mais do que a lei exigia. A doação sistemática e regular é claramente ensinada no Novo Testamento. É conhecida como a graça em doar86. O medidor ou regra da doação sistemática é definida no Antigo Testamento, conhecida como a lei do dízimo. Todos os cristãos devem conscienciosamente e sistematicamente dizimar sua renda a Deus.

73 Gen. 2:24; Matt. 19:6

74 Matt. 19:5; Mal. 2:15

75 Gen. 2:18; 1 Cor. 7:2-5; Heb. 13:4

76 Eph. 5:3, 26, 27

77 Eph. 5:25, 31, 32

78 2 Cor. 6:1, 14, 15

79 1 Cor. 7:12-14, 16

80 Eph. 6:4

81 Matt. 5:32; 19:9

82 Eph. 4:32

83 Matt. 19:8

84 Mal. 2:16

85 Lev. 27:30-32; Mal. 3:10

86 2 Cor. 9:6-15